Notícias

Ação no Canadá consolida presença brasileira no país

TPB042014_02_CanadaA cultura de cada país é um indicador para que o empresário saiba como se portar ao apresentar o seu produto. E as 22 empresas brasileiras que participaram do Doing Business in Canada, realizado em Toronto e Montreal em março, embarcaram cientes de todas as diferenças entre as nações. E aprenderam ainda que num mesmo país as diferenças existem até mesmo de região para região. Diante da expertise adquirida anteriormente junto à equipe da Câmara Brasil-Canadá, as companhias brasileiras conseguiram realizar cerca de 300 rodadas de negócios, número expressivo que culminou em muitas prospecções. Além do Programa Think Plastic Brazil, também participaram da ação no país norte americano os programas Glass Brasil e Metal Brasil, que juntos fortaleceram a presença brasileira no evento. Ainda, os consulados brasileiro e canadense também chancelaram a rodada de negócios.

No primeiro dia, em Toronto, 20 empresas associadas – que englobam as categorias de plásticos rígidos e flexíveis – participaram do Projeto Vendedor. Ao final do encontro foram contabilizadas 184 rodadas de negócios. “A qualidade dos compradores foi muito boa”, enfatiza Marcos Toma, gerente de exportação da brasileira Poly Play“eles estavam procurando este tipo de evento. Apresentei nosso produto de forma diferente do que fiz em Chicago, na HH. Pensei em uma estratégia que deu certo no Canadá, mais voltada para o lado ecológico”, explica .

Estiveram presentes 14 compradores de grandes empresas canadenses, que possuem centenas de lojas no país. A oportunidade de estar em contato com este tipo de comprador abriu um vasto leque de opções para os brasileiros presentes.  A prospecção, para os próximos doze meses, foi da ordem de US$ 1,8 milhões.

Gilberto Agrello, especialista em desenvolvimento de mercado do Programa Think Plastic Brazil, acompanhou a missão canadense e fez um balanço para o mercado nacional. “Houve grande adesão por parte dos canadenses, com presença de grandes players. Recebemos elogios por escrito da organização do evento e tivemos a presença de vice-presidentes das companhias, que são figuras raras neste tipo de evento.”

“Nem imaginava que teriam compradores de lojas tão grandes”

No Projeto Vendedor de Montreal, foram 110 rodadas de negócios, com a presença de 19 associados. Além disso, também ocorreu uma clínica da Canadian National, grande empresa canadense de logística, responsável por transporte ferroviário e marítimo. Neste segundo dia, a prospecção de negócios futuros chegou a US$ 850 mil. “Em Montreal foi ainda mais focado”, compara Toma. “Eles são muito críticos em relação à qualidade, design e às certificações. Nem imaginava que teriam compradores de lojas tão grandes, e o TPB conseguiu levar esses ‘caras’ para conversar com a gente”, completa.

Um dos grandes destaques do evento foi a presença do vide presidente de desenvolvimento de produtos da LobLaw, Eric Berthold, nas rodadas de Toronto. A empresa dirigida por Eric possui mais de 1000 pontos de venda no Canadá. Além disso, Kelly Dimitropoulos, diretora de importação da Rona, rede de cerca de 800 lojas do ramo da construção civil (home improvement), também compareceu.

Antes das rodadas, em um seminário preparatório, Diana Spina, chefe de desenvolvimento de produtos da LobLaw, deu uma palestra sobre o Canadá muito bem avaliada pelos presentes. Durante as rodadas de Toronto e Montreal, a presença da presidente e do vice-presidente da CCBC (Câmara de Comércio Brasil-Canada), respectivamente Esther Nunes e Antonio Conde, conferiram solidez à ação. Ainda, Vee Kashroo, vice presidente de desenvolvimento e recursos de mercado da Canadian National WorldWide (CNWW), uma das maiores empresas de logística do país, também compareceu às rodadas de negócios.

Além das rodadas de negócios organizadas para as empresas de UD também formam organizadas agendas individuais com reuniões em potenciais clientes para empresas associadas cujo perfis demandavam uma ação mais específica e focada, como o segmento de embalagens, por exemplo.

Agora a lição de casa dos brasileiros participantes será entrar em contato para consolidar os negócios acordados durante o evento. Ao final, somou-se 294 rodadas e 25 compradores, com um total de negócios previsto estabelecido em US$ 3,6 milhões. 

 

Fonte: Think Plastic Brazil