Notícias

BNDES abre nova linha para exportação

Por Alessandra Saraiva | Do Rio

O BNDES anuncia hoje nova linha de financiamento à exportação, o BNDES Exim Pré-embarque Empresa Inovadora, voltada a bens de capital e bens de consumo nacionais classificados como inovadores e à exportação de serviços de tecnologia da informação desenvolvidos no Brasil, como softwares. Com a nova linha, o banco pode financiar, na modalidade indireta – com auxílio de agente financeiro – até 80% do total de compromisso de venda da exportadora, informou a chefe da área de Comércio Exterior do BNDES, Raquel Duarte.

“Dada a conjuntura, o mercado exterior é uma grande saída para a indústria”, afirmou Raquel, lembrando o momento favorável do câmbio para as exportações. Segundo ela, a modalidade não tem vigência, ou seja, será complementar às outras linhas permanentes do banco.

Poderão usar a nova linha exportadoras com faturamento anual de até R$ 300 milhões. As exportadoras precisam se adequar a uma série de critérios: já ter financiado aquisição de um dos serviços tecnológicos no âmbito do Cartão BNDES, voltado para empresas de pequeno porte; ter patente concedida ou pedido de patente válido; já ter sido apoiada por programas do banco voltados à inovação.

O custo financeiro do crédito será em Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP, atualmente em 7,5% ao ano) com prazo de financiamento de até 36 meses. A empresa precisa também, necessariamente, exportar seu produto ou serviço até esse prazo. Para micro, pequenas e médias empresas, a taxa de remuneração cobrada pelo BNDES será de 1,6% ao ano. Para médias e grandes, 2% ao ano. A remuneração financeira do agente financeiro será negociada entre as partes.

A fase de pesquisa e desenvolvimento (P&D) do produto ou serviço a ser exportado – estágio inicial do produto inovador – não é contemplada. “O BNDES já tem outras linhas próprias para investimento de P&D e com condições até mais atrativas”, disse Raquel. Os segmentos que podem ser beneficiados vão desde bens de capital até o setor farmacêutico.

A nova linha ajudará a impulsionar as liberações para exportação do banco este ano. Em 2015, os desembolsos para vendas externas, nas modalidades pré-embarque (produção de bens e serviços para exportação), e pós-embarque (apoio à comercialização de bens e serviços nacionais no exterior, por refinanciamento ao exportador, ou financiamento direto ao importador) foram de US$ 2 bilhões, 50% abaixo de 2014.

Fonte Internet: Valor Econômico 22/02/16