Notícias

Em um ano, México compra 75% mais plástico do Brasil

A consulta no Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC) confirma: o interesse do México nos produtos plásticos brasileiros é crescente. De maio do ano passado ao mesmo mês de 2013, o país aumentou em 75% o volume de produtos comprados dos fabricantes do Brasil, passando de 17,5 mil toneladas para 30,7 mil toneladas. O impacto na receita foi menor, mas ainda importante. O faturamento cresceu 27%, de US$ 67,8 milhões para US$ 85,9 milhões.

03_ExpoPack

Ainda assim, o México é só o 14º país na lista de principais importadores do Brasil neste segmento. Mas o esforço dos brasileiros durante a última Expo Pack México, realizada na Cidade do México entre 18 e 21 de junho, mostra que essa situação pode se alterar em breve. “O mercado mexicano é muito similar ao nosso, tão grande quanto”, informa Fabio Smanio, consultor de exportação, que representou na feira três empresas: InjeplastBralmax e Spiltag. Fábio havia feito mais de 100 atendimentos até o segundo dia da feira.

No caso da Cartonale, o México é um caso especial. “Estamos no México há oito anos e o país representa o principal destino nosso de comércio exterior. Temos 10 clientes aqui”, contou durante a feira Juliana Sabbag Scanavini, diretora corporativa da empresa. O início foi com clientes de linha branca, seguidos da área automobilística e farmacêutico. O próximo mercado será o de caixas de plástico corrugado para a agricultura, que já se beneficiará da estrutura de armazenagem que a empresa montou naquele país para fazer entregas just-in-time.

A presença constante no país é um dos caminhos para potencializar negócios. A Embaquim participa da Expo Pack desde 2011: partiu da empresa a sugestão para o Think Plastic Brazil montar uma estrutura aos exportadores brasileiros do segmento. “O mercado aqui nos interessa muito porque o mexicano é mais parecido com o brasileiro que outros latino-americanos. Eles são inteligentes e compram bons produtos, sem bairrismo”, explica.

Na avaliação de Cristina Sacramento, especialista de Mercado Embalagens Flexíveis do Programa, esse comportamento dos mexicanos favorece os desdobramentos de negócios a partir dos relacionamentos construídos na feira. “Participar de uma feira como essa abre uma nova frente de negócios aos exportadores brasileiros e ajuda a consolidar aqueles que já lidam com o México”, explica. Afinal, para o mexicano, o contato físico também é fundamental.

 

Balanço de negócios

18 a 21 de junho de 2013
Participação de 15 empresas associadas, 986 contatos realizados
Previsão de negócios para os próximos 12 meses: US$ 4.660.000,00

 

Mudança demográfica aumenta população consumidora

Parte do salto no PIB que a segunda economia latino-americana assistiu no últimos três anos se deve a alterações importantes no perfil do povo mexicano. A reflexão faz parte de um estudo sobre o México preparado pelo Departamento de Inteligência de Mercado do Think Plastic Brazil.

De acordo com o documento, uma das consequências mais visíveis da mudança demográfica que o México está enfrentando é o “bono demográfico”. Segundo a Organização das Nações Unidas, isso se alcança quando a população do país tem uma grande parcela que trabalha, com crianças menores de 15 anos tornando-se menos de 30% do total da população e idosos de 65 anos ou mais velhos, abaixo da marca de 15%.

Tal situação aponta para uma população ativa bastante grande, ou seja, todos aqueles que a grande faixa etária é de 18-64 anos de idade, é apontado como maior potencial econômico para o país inteiro. “É razoável esperar que, nos próximos anos, este grupo de idade terá o poder de compra considerável devido à idade de trabalho e vai exigir mais produtos de todos os tipos, incluindo alimentos embalados”, avalia o texto.

 

O estudo completo está disponível na área para associados do site do Programa. É mais um benefício que o Think Plastic Brazil oferece a você! Clique aqui para acessá-lo.

 

Fonte: Think Plastic Brazil