Notícias

Guia de Sustentabilidade do Plástico é lançado em São Paulo

Diagnóstico e plano de ação estão disponíveis gratuitamente para a indústria de transformação plástica

sustentabilidade

A sustentabilidade tornou-se um assunto inescapável no mundo corporativo e as 11 mil empresas da indústria nacional de transformação plástica contam, a partir de agora, com um importante aliado na gestão do tema em suas organizações: é o Guia de Sustentabilidade do Plástico, lançado no última dia 21 de outubro em São Paulo.

O guia traz orientações sobre os temas de sustentabilidade que podem tornar as empresas mais competitivas. Além disso, é possível fazer um teste e identificar o nível de maturidade em sustentabilidade da empresa e, a partir daí, identificar as ações prioritárias e mais adequadas à capacidade de cada organização. O teste, gratuito, é feito on-line e o resultado, bem como o acesso ao plano de ação, imediato.

A publicação traz, ainda, 10 das principais tendências do setor, em que iniciativas, às vezes simples, geram impactos substanciais, com indicação de empresas que aplicaram essas tendências.

“Sustentabilidade e competitividade andam juntas. As empresas que atuam de forma sustentável se tornam mais competitivas: suas operações são mais eficientes, administram melhor os riscos, aproveitam melhor as oportunidades e são melhor avaliadas em mercados mais exigentes e até mesmo pela sociedade”, analisa Marco Wydra, gerente-executivo do Think Plastic Brazil. “Nossa intenção é oferecer informação, orientação e apoio às empresas que enxergam a importância da sustentabilidade para o seu negócio”, completa.

Para fazer a avaliação do nível de maturidade de sua empresa, acesse www.plasticosustentavel.com.br. Para ter acesso à integra do guia, envie um e-mail para marco.wydra@thinkplasticbrazil.com.

A publicação é uma iniciativa do Instituto Nacional do Plástico (INP), Think Plastic Brazil, Apex-Brasil e Plastivida e resulta de um ano de muito trabalho, entendimento integrado da atuação do setor no Brasil e no mundo, oficinas de sensibilização, visitas técnicas e análise de cenários e tendências.