Notícias

Nem tudo que reluz é ouro, pode ser plástico

Mercados segmentados podem oferecer demanda interessante ao setor do plástico, como é o caso da mineração. Quando se há necessidade de se fazer o desabamento de lodo, de minerais, por exemplo, usa-se um produto plástico como filtro para reter a parte sólida. Aplicações como esta podem, inclusive, tornar o processo de extração mineral mais ecológico, pois reduz-se o uso de substâncias químicas e aproveita-se melhor o material coletado.

TPBNews_052014_ExpominA feira Expomin, realizada no Chile entre os dias 21 e 25 de abril, reuniu toda a indústria mundial do setor no país da mineração, ou seja, foi um prato cheio para a prospecção de novos negócios para o Brasil, tanto pela oferta de contatos de todo o globo como também pela proximidade do país. A atenção para o evento foi uma demanda dos associados do Think Plastic Brazil, atendida prontamente. Isso mostra a importância do diálogo e da aproximação da inteligência comercial do Programa com a prática da rotina das empresas do setor, criando novos caminhos e ações que favoreçam as relações comerciais entre os países.

Para Cristina Sacramento, especialista de Mercado do Programa, a Expomin é um leque de possibilidades. “É um setor muito importante na economia chilena, mas muito forte em países como África do Sul e Austrália, ícones da mineração, além das sempre interessantes nações norte-americana e canadense, argentina e espanhola”, coloca Cristina.

Dorival de Oliveira Rocha é diretor da Ecobulk, empresa coligada com a Topack, que participou da feira, e acredita que seu produto tem muito a ver com a área de mineração. “Nosso produto produz um teor de sólido dissolvido muito baixo para a mineração, atende a legislação do meio ambiente e temos um representante no Chile comercializando nossos produtos”, explica Dorival, que viu na feira uma excelente oportunidade de expandir seus negócios.

“O Think Plastic Brazil foi bastante eficiente, muito prestativo, sempre buscando ideias ou alternativas de aproximação e muito inclinado a ajudar”, conta Dorival. Para conquistar mais conexões, no entanto, o executivo não descartou a proatividade e conta como funcionou seu plano de ação durante um evento deste porte. “Estão acontecendo muitos contatos de empresas que tiveram boas impressões de nosso produto, mas é um trabalho que fazemos também percorrendo estandes, apresentando folders e, quando eles vêm ao estande, temos vídeo e explicações mais técnicas e detalhadas sobre o nosso processo”, explicita o executivo.

Participaram da feira quatro empresas brasileiras, sendo elas a Topack, com seus produtos para tratamento de água; a Packseven, de stretch films; a FFS, de embalagens, como sacos de polietileno; e a Cipatex, com suas geomembranas de PVC para impermeabilização de solos.

 

Fonte: Think Plastic Brazil