Notícias

PackSeven fecha negócios e mira prospecção após feira no Peru

“Exportar é o que importa”, lema da economia brasileira à época de Delfim Netto como ministro da Fazenda (de 1967 a 1974), vale muito para empresas até hoje. A presença e a prospecção de negócios em três grandes feiras em poucos meses mostra que a Packseven , com a ajuda do Programa Think Plastic Brazil, busca o exterior como quem busca um tesouro.

Colômbia, México e Peru são os mercados prioritários, onde a empresa busca parceiros comerciais e distribuidores. Recém-voltado do Peru, Alexandre Ferreira, consultor técnico comercial da Packseven, afirma que é importante antes de entrar num mercado estrangeiro fazer um trabalho de prospecção e promoção para ganhar visibilidade.

Conheça mais detalhes do trabalho desenvolvido pelo Think Plastic Brazil

201311_TPB_IMG04

 

 

O evento mais recente foi a ExpoAlimentaria, feira voltada ao setor de produtos agroindustriais e pesqueiros realizada em Lima, em outubro. “Pudemos ter contato tanto com expositores quanto com potenciais consumidores”, afirma Ferreira. O resultado da proximidade foi a captação de, ao menos, 150 contatos comerciais com os quais o executivo vê possibilidades de bons negócio. “Estamos agora já namorando alguns distribuidores”, brinca.

A empresa, que teve sua participação viabilizada pelo Think Plastic Brazil, contou com o suporte do  Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), que levou empresas brasileiras para mostrar seus produtos em um estande exclusivo para as companhias nacionais no evento. A Packseven pode levar soluções em embalagens alimentares.

201311_TPB_IMG04aA expectativa, após a ExpoAlimentaria, é de que as exportações já comecem logo. “Daqui um ano, queremos exportar 15 toneladas por mês para o Peru”, prevê.

Na Colômbia, onde a empresa participa da Andina-Pack, no estande do Programa, em novembro (veja texto anterior), a Packseven diz ter contratos exclusivos com distribuidores locais. “No México, ainda não fechamos”, conta Ferreira. Mas a partir da grande demanda mexicana por produtos brasileiros (clique aqui e leia mais), fechar um novo negócio deverá ser questão de tempo para a empresa – afinal, exportar é o que importa.

 

Fonte: Think Plastic Brazil