Notícias

Produto plástico substitui madeira e ganha espaço em mercado bilionário de decoração

BelchiorO Brasil ainda vive um boom de empreendimentos imobiliários, alimentado pelo fácil acesso ao crédito habitacional. Em outros países, a situação é um pouco diferente, já que a crise imobiliária americana injetou temor no mercado, mas o que se viu foi uma população ávida por redecorar suas atuais moradias. Segundo o relatório da Global Industry Analysts, a indústria de mobiliário e decoração mundial se deu bem mesmo diante da crise, e até 2015 deve abocanhar mais de US$ 700 bilhões. No Brasil, os números também são positivos: já são cerca de R$ 18 bilhões gastos por ano para redecorar a casa.

Um dos motivos, segundo o instituto Data Popular, é o aumento da classe média brasileira. Entre os artigos procurados, produtos plásticos que substituem materiais tradicionais ganham impulso, fruto do esforço de empresas como a Belchior. A companhia paulista trabalha com uma linha de produtos que substitui a madeira, chamada de produto emadeirado. A empresa destina quase 15% do seu orçamento anual para o incremento e aquisição de tecnologia e design de produtos como esses.

“Podemos trabalhar hoje com várias vertentes de produtos decorativos, tratando-se de acabamento emadeirado. Por isso temos feito muitas pesquisas para saber quais produtos são mais rentáveis e vantajosos para a empresa adotar estratégias de médio e longo prazo de fabricação, distribuição e exploração de mercado”, explica o assitente de exportação da empresa, Henrique de Andrade.

A companhia foi uma das pioneiras no país em vislumbrar a possibilidade de substituir os produtos de madeira, que têm fortes restrições na hora de exportar, por compostos plásticos. “No final dos anos 90, iniciamos de modo pioneiro a substituição das ‘madeiras nobres’ por insumos advindos de reciclagem. Nasceu assim a recuperação dos polímeros e o problema virou solução”, explica.

Para o especialista, isso determinou o surgimento da reciclagem inteligente, econômica e de fonte renovável. “A Belchior tem uma gestão empenhada com a sustentabilidade. Hoje a exportação na empresa ocupa 5% do faturamento, mas com um produto muito bem visto no exterior, pois além de seu apelo ecológico, os clientes se impressionam com a qualidade do acabamento, não deixando a desejar em nada para as madeiras mais nobres do Brasil”, finaliza.

Fonte: Think Plastic Brasil