Notícias

Termoplástico traz mais segurança e redução de custo às indústrias, diz Marcos Curti da Solvay

mamona é a fonte da matéria-prima de um produto que vem revolucionando o uso do plástico na indústria. O plástico de engenharia, ou termoplástico como é chamado, permite substituir metais sem perda de performance. Marcos Curti, diretor para as Américas da área global de negócios plásticos de engenharia do grupo Solvay, afirma que hoje o plástico de alto rendimento traz segurança e reduz custos não só para empresas como para o consumidor.

201311_TPB_IMG01Administrador especializado em marketing pela Universidade de São Paulo e pelo Instituto Insead (França), Curti tem uma longa passagem pela francesa Rhodia, onde entrou em 1990 e permaneceu após a empresa ser comprada pelo grupo belga Solvay para formar um dos líderes mundiais do setor químico.

Para ele, o termoplástico é uma tecnologia que oferece “mais competitividade aos produtores, que ganham escala e capacidade de servir um maior número de consumidores”. Em entrevista ao Think Plastic Brazil News, o executivo afirma que o uso dos termoplásticos “trouxe também mais segurança aos equipamentos elétricos e auxiliou na redução de consumo de combustível dos veículos”.

Diretor da área desde 2009, ele fala de produtos e ainda avalia o desempenho da economia brasileira frente à competitividade internacional: “a indústria em qualquer lugar do mundo tem que estar preparada para exportar”.

Leia os principais trechos da entrevista com Marcos Curti:

De que maneira as novas resinas e usos do plástico vão mudar o consumo?

As novas tecnologias oferecem mais competitividade aos produtores, que ganham escala e capacidade de servir a um maior número de consumidores. Este é o fundamento do surgimento da química, transformando e criando condições para a melhoria da qualidade de vida das pessoas. O uso dos termoplásticos foi fundamental na implementação de novo design em peças automotivas e bens de consumo. Trouxe mais segurança aos equipamentos elétricos e auxiliou na redução de consumo de combustível dos veículos.

É possível ficar mais sustentável mesmo usando plástico? Essa resina é mais ou menos reciclável do que as resinas comuns?

A grande maioria das resinas são recicláveis, desde que bem geridas no seu pós-consumo. Hoje atuamos com vários clientes no suporte à reciclagem das suas perdas industriais e um próximo passo envolve a reciclagem do pós-consumo destes mesmos clientes. Na minha visão, sem os termoplásticos haveria mais restrição de acesso a vários bens de consumo duráveis e semiduráveis.

Quais as maiores demandas da sua área, desde que assumiu, em 2009?

A perda de competitividade da industria local para exportar é o maior desconforto vivido hoje. A indústria em qualquer lugar do mundo precisa estar preparada para exportar e atender os mercados mais exigentes. Só isso garante a mudança constante do padrão de qualidade e serviço. 

 

Fonte: Think Plastic Brazil