Think Plastic Brazil e Braskem promovem Economia Circular para embalagens em encontro com empresários exportadores

Think Plastic Brazil

Fabiana Quiroga, responsável pelo departamento de reciclagem e plataforma Wecycle da Braskem e Fábio Sant’Ana, responsável pelo Desenvolvimento de Embalagens para Economia Circular da Braskem, reuniram-se neste mês de março com empresários e convidados do Think Plastic Brazil para abordar o tema da Economia Circular para Embalagens (PE e PP) e o Design como ferramenta estratégica para circularidade.

Uma economia circular é uma alternativa a uma economia linear (fazer, usar, dispor) na qual mantemos os recursos em uso pelo maior tempo possível, extraindo o máximo de valor ao longo de seu uso, para então recuperar e regenerar os produtos e os materiais ao fim de cada ciclo de vida útil*.

A ação é parte dos esforços sustentáveis do programa de exportação e internacionalização do plástico transformado brasileiro (criado pelo Instituto Nacional do Plástico – INP – em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil) e em sincronia com a Braskem que tem entre suas políticas a missão de incentivar abordagens políticas que apoiem e recompensem a inovação, o empreendedorismo e as soluções locais como o melhor caminho para possibilitar avanços tecnológicos e incentivar o investimento privado.

“O objetivo do curso foi mostrar um panorama da economia circular incluindo iniciativas da Braskem e as oportunidades para empresas”, disse Fabiana Quiroga.

“A apresentação mostrou que há um caminho para discussões no mercado, incluindo temas como reciclagem, design for enviroment, design como um todo, economia do plástico e desenvolvimento da cadeia”, destacou Fábio Sant’Ana.

“Os especialistas falaram de design sob a ótica do design, da circularidade, da análise do ciclo de vida e outras ferramentas muito importantes para que possamos discutir com a sociedade, brand owners e outras empresas que buscam evoluir nos conhecimentos sobre a sustentabilidade para que como cadeia produtiva consigamos responder às pressões e sermos partícipes do processo em que os plásticos possam ser utilizados de forma consciente e para preservar o meio ambiente enaltecendo suas qualidades”, complementou Miguel Bahiense, diretor superintendente do INP e gerente do Think Plastic Brazil.

*WARP, UK.